facebook

Consumidores reclamam da qualidade dos serviços de internet e telefonia móvel

O Procon de Irati já recebeu diversas reclamações e realizou notificações, além de comunicar a situação à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com o objetivo de buscar soluções para os problemas relatados

22/04/2024

Consumidores reclamam da qualidade dos serviços de internet e telefonia móvel

Em Irati, os consumidores têm expressado crescente insatisfação com os serviços de internet e telefonia móvel, com a operadora TIM liderando as reclamações. Os problemas variam desde a qualidade da conexão até questões relacionadas ao atendimento e serviços prestados. Além da TIM, outras operadoras também estão na mira das críticas. Com isso, o Procon Municipal tem sido procurado por diversos consumidores e feito notificações e comunicações à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre a situação.

Mauricio Martins, residente no bairro Canisianas e profissional de marketing digital, relata enfrentar constantes problemas com suas duas linhas telefônicas. “Eu uso a TIM, eu tenho dois chips, o pessoal e o empresarial, e os dois chips estão com problema, eles não funcionam. Um dia funciona e durante uns quatro dias para de funcionar. Se for depender do telefone para alguma coisa de negócio, esqueça”, relata Mauricio.

Ele destaca que frequentemente precisa buscar uma conexão de internet fixa, o que compromete suas atividades, que dependem de conexão estável. “Às vezes tenho que sair procurar um Wi-Fi, porque não tem internet da TIM e nem dá para fazer uma ligação. Se precisar mandar um WhatsApp ou alguma coisa que precisa urgente da internet, não vai ter como”, conta.

Ele afirma que já tentou resolver os problemas com a operadora em diversas ocasiões, mas suas tentativas foram frequentemente frustradas por atendimentos automatizados ou por atendentes que não solucionaram a questão.

Moradores e trabalhadores da região central de Irati também têm enfrentado os mesmos problemas de falta de conectividade. O analista de sistemas Gabriel Raul Blanski, morador do Centro de Irati, conta que recentemente mudou de operadora devido à insatisfação enfrentada com a falta de conectividade e outros serviços da TIM no município. “Eu mudei de operadora por vários motivos, porque primeiro que esses últimos tempos, o 4G está muito ruim, bem ruim mesmo. A ligação também está caindo bastante, se você está falando normal, a ligação cai, você tem que retornar para a pessoa para continuar conversando, mas fica cortando bastante a ligação”, descreve Gabriel. “Eu sofri bastante para tentar cancelar o plano com eles. Ficavam me jogando de um atendente para o outro e eu preferi mudar de operadora”, complementa.

Busca por soluções

Adriano Pinto Godói trabalha com pintura residencial e é morador do bairro Engenheiro Gutierrez. Ele também enfrenta problemas de conectividade em sua linha telefônica e conta que em uma das reclamações que fez à operadora TIM, foi informado pela atendente  que os problemas são devidos à transição da rede 4G para o 5G no município. “Eu conversei com a moça lá da operadora, eles me ligaram oferecendo um plano, eu falei que na verdade queria cancelar. Não tem condição, funciona um dia sim, um dia não, aí ela me disse que é porque eles estão trocando do 4G para o 5G. Mas quando cai o sinal num lugar da cidade, pode ter certeza que foi na cidade inteira. Eu estou trabalhando no bairro Alto da Glória e vou até em casa, no Gutierrez, sem sinal”, descreve.

O coordenador do Procon de Irati, Ronaldo Luiz Evangelista, destaca que o órgão tem recebido frequentes reclamações sobre interrupções de sinal, principalmente da operadora TIM. “Nós temos recebido, sim, reclamações com bastante frequência em relação a essas interrupções de sinal de telefonia celular, especialmente da operadora TIM. O que está ocorrendo é que durante alguns dias, a prestação de serviços de internet por dados móveis tem sido interrompida”, descreve.

Ronaldo cita as medidas que já estão sendo tomadas em relação às reclamações contra a operadora. “Nós já fizemos notificação para a operadora. A primeira vez que nós os notificamos, eles disseram que estavam realizando trabalhos que iam melhorar a disponibilização dos serviços deles através de melhorias nas redes de transmissão e nas torres. Eu fiz a notificação solicitando providências da parte deles de forma imediata na primeira vez”, afirma.

Em uma segunda notificação, o Procon de Irati solicitou novamente à operadora que providenciasse a restauração da disponibilidade dos serviços. “A segunda vez aconteceu há poucos dias. Nós notificamos novamente, solicitamos a eles que fosse providenciado o serviço de restauração da disponibilidade do serviço, já que a telefonia também tem essa natureza, é um serviço que você paga pela disponibilidade, tem que estar disponível para o consumidor durante todo o tempo, mas a operadora sempre alega que é serviço para melhoria e pede paciência para o consumidor”, descreve Ronaldo.

Anatel já foi comunicada sobre os problemas

Com isso, o Procon de Irati tomou medidas adicionais e comunicou à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre as constantes interrupções nos serviços da operadora em Irati. “Fizemos também uma solicitação de providências comunicando a Anatel, que é órgão regulador dos serviços de telefonia, tanto móvel como fixa aqui no Brasil, órgão que tem como objetivo também fazer com que essas operadoras cumpram as determinações que são de obrigações por força dos contratos de concessão. O serviço de telefonia é concedido pelo Estado, existem condições para esses contratos. Por isso, pedimos a Anatel que exija providências para que os serviços não sejam mais interrompidos”, explica o coordenador do Procon de Irati.

Insatisfação com outros serviços

Gabriel Raul Blanski acrescenta frustrações com outros serviços da operadora TIM. Ele critica a frequência das mensagens SMS promocionais, que de acordo com ele, vão desde ofertas comerciais até publicidade de casas de apostas. “Eles são bem chatos com questão de cobrança. A minha fatura vencia, por exemplo, na segunda-feira, na quinta-feira antes já tinha aqueles robôs me ligando o tempo inteiro. Também mandam SMS o dia inteiro de promoção sobre casa de apostas, de tudo que se possa imaginar. Ficam mandando mensagens, aqueles pop-ups que abrem na tela do celular, que aparece bem onde você está digitando e se você clicar, simplesmente você assina um plano de receber mensagens sobre assuntos aleatórios”, relata.

Mauricio Martins também diz que está insatisfeito com a impossibilidade do uso do plano contratado. “O que acaba acontecendo? Você assina um plano para 30 dias para você usar a internet e ligação ilimitada, mas dos 30 dias você vai usar o plano durante uma semana no máximo, em períodos indeterminados; ou um dia sim, quatro não. Você acaba pagando o plano inteiro e não usa quase nada”, conta.

Uma servidora da prefeitura municipal de Irati, que preferiu não se identificar, conta que enfrenta dificuldades com os serviços de internet móvel de outra operadora de telefonia. Ela é cliente da Vivo e relata que frequentemente enfrenta falhas na prestação de serviços e na conectividade, o que evidencia um problema mais amplo no município.

Direitos do consumidor

O coordenador do Procon de Irati ressalta que, diante dessas circunstâncias e condições enfrentadas pelos consumidores, aqueles que se sentirem prejudicados podem reivindicar seus direitos. Ele exemplifica que em situações em que o consumidor sofre prejuízos, como perdas de oportunidades de lucro devido à interrupção dos serviços de telefonia, ele tem o direito de buscar indenização judicialmente. “Se em função disso o consumidor se sentir lesado, por exemplo, de algo como um lucro cessante, que ele pode ter deixado de auferir de lucro em função do seu trabalho – digamos que o consumidor tenha um trabalho que ele necessita da disponibilização do serviço de telefonia celular para ele poder fechar, tabular contratos, fechar negócios, que ele tenha a necessidade desse meio para a execução da sua atividade comercial, seja qual for ela –, ele pode sim buscar indenização, isso judicialmente, isso é possível”, orienta Ronaldo Luiz Evangelista.

Ele destaca o papel do Procon em atender cada caso apresentado pelos consumidores e incentiva os clientes de operadoras a registrarem suas reclamações no órgão sempre que enfrentarem problemas de interrupção de serviços. Segundo Ronaldo, o objetivo é reunir o maior número possível de relatos de consumidores que se sentirem prejudicados para encaminhar ao Ministério Público. Esta iniciativa visa buscar a intervenção do Ministério Público, dentro de suas atribuições legais, para tomar as medidas necessárias diante das situações relatadas pelos consumidores.

Baixa conectividade é um problema nacional

De acordo com dados do estudo Conectividade Significativa: propostas para medição e o retrato da população no Brasil, lançado na última terça-feira (16) pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), braço executivo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), apenas 22% dos brasileiros com mais de 10 anos de idade têm condições satisfatórias de conectividade, apesar de o acesso à internet estar perto da universalização no país. Outros 33% da população estão no nível mais baixo do índice que mede a conectividade significativa no país (de 0 a 2 pontos) e 24% ocupam a faixa de 3 a 4 pontos.

O coordenador do Procon de Irati também ressalta que os problemas enfrentados com os serviços de telefonia não são exclusivos de Irati, mas sim, um desafio generalizado em todo o país. Ele enfatizou a necessidade de uma atuação mais incisiva por parte dos órgãos reguladores federais, especialmente a Anatel, para assegurar uma postura mais eficaz por parte das operadoras de telefonia móvel e fixa em todo o Brasil. “É preciso deixar claro que as pessoas entendam que esse não é um problema particular aqui de Irati. Isso é um problema que existe em todas as cidades, em todo o Brasil. É um problema bem maior. Nós precisaríamos que houvesse uma cobrança mais efetiva por parte dos órgãos responsáveis, pelo governo federal, no sentido de conseguir uma postura mais eficaz das operadoras, especialmente a Anatel, que é o órgão regulador responsável por toda essa questão da prestação do serviço de telefonia móvel e fixa aqui no Brasil”.

Ele afirma que o Procon está aguardando uma posição da Anatel e das operadoras em relação aos problemas relatados e acredita que haverá uma resposta adequada.

Respostas das operadoras

Procurada pela equipe do Hoje Centro Sul, a TIM enviou um comunicado sobre os recentes problemas enfrentados pelos clientes em Irati. A operadora atribuiu os incidentes a um rompimento na rede, que de acordo com a assessoria, já foi reparado. “A TIM informa que, em função de um rompimento da rede que atende a cidade de Irati - já restabelecido - clientes TIM podem ter tido os serviços de dados afetados por conta de congestionamento no tráfego da rota da região. A operadora segue monitorando seus serviços para atuar em correções pontuais. A TIM também está investindo na rede ótica para aumentar a resiliência da região.

Por sua vez, a operadora Vivo, que também foi procurada pela equipe do jornal, afirmou via assessoria que tem como compromisso aprimorar e expandir sua rede móvel para proporcionar um serviço de qualidade aos seus clientes em todo o país. “A Vivo informa que investe constantemente em ampliações de sua rede móvel para oferecer o melhor serviço a seus clientes em todo o país, o que inclui Irati (PR) e região. A operadora também reforça que avalia frequentemente a possibilidade de expansão de toda sua rede, considerando a demanda e critérios técnicos, assim como autorizações para instalações de antenas e ampliações de seu atendimento”.

Consumidores podem denunciar diretamente para a Anatel

A Anatel possibilita ao consumidor, através dos canais na internet “Anatel Consumidor” e do aplicativo para celulares “App Anatel Consumidor”, registrar reclamações contra as operadoras de serviços de telecomunicações (como telefonia móvel, telefonia fixa, internet e TV por assinatura) quando considerar que elas estão descumprindo suas obrigações. A Anatel encaminha a reclamação para a operadora, que terá dez dias corridos para dar uma resposta ou solução. É a operadora, e não a Anatel, quem irá responder ao consumidor. Esse serviço permite, também, o registro de reclamações, denúncias, pedidos de informação e sugestões em relação à Anatel.

Para registrar uma reclamação é necessário ter o número do protocolo de atendimento da empresa. Por isso, a Anatel enfatiza que antes de efetuar reclamação na Agência sobre os serviços de telecomunicações, o consumidor deve entrar em contato com a sua operadora e anotar esse número de protocolo. Uma vez registrada na Anatel, a reclamação é encaminhada à operadora, que deve responder ao usuário em até dez dias corridos.

Texto: Lenon Diego Gauron/Hoje Centro Sul

Fotos: Pixabay

Comentários

Edição 1594
  • Direitos Autorais

    Textos, fotos, artes e vídeos do Jornal Hoje Centro Sul estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. É expressamente proibido a reprodução do conteúdo do jornal (eletrônico ou impresso) em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização expressa do Jornal Hoje Centro Sul.

  • Endereço e Contato

    Rua Nossa Senhora de Fátima, no 661
    Centro, Irati, PR - CEP 84500-000

    Tel: (42) 3422-2461

  • Pauta: jornalismohojecentrosul@gmail.com

    Expediente: de segunda à sexta das 8h às 17h

JORNAL HOJE CENTRO SUL - © 2020 Todos os Direitos Reservados
Jornalista Responsável: Letícia Torres / MTB 4580